Caixa de contos

O Arpoador

 

Foto: Bruna Santos
Foto: Bruna Santos

Ela sentou no topo do Arpoador e contemplou a beleza de lá do alto. Sozinha, mas não por não ter ninguém ao seu lado. Ela, que estava de vestido esvoaçando por causa do vento que batia, ficava de olho nas pessoas lá embaixo e nas ondas que batiam nas costas delas.

Sofia ficou lá por duas horas e sentia que podia morar lá em cima – até por conta da vida sem rumo que ela se sentia viver até então. Ali era seu lugar! Ali, no meio do Rio de Janeiro, vendo as maiores belezas naturais, vendo pessoas sorrindo com o toque salgado do mar, vendo Cristo de braços abertos para o mundo à sua direita e lindos raios de sol que se punham a sua frente, era seu lugar.

Ali onde a vida era leve e fácil, assim como era fácil para seu cabelo não parar no lugar e seus olhos brilharem. Ali onde não havia cobrança se ser ou de estar no topo. Ela já estava no topo! Estava no topo das rochas vislumbrando o grande oceano. Estava no topo de um lugar cheio de histórias. Estava onde ela deveria estar.

Sofia levantou-se do topo do Arpoador e sorriu:

-Eu sempre irie voltar – Disse quase sussurrando.

E ali, com o cheiro do mar entrando em seu corpo ao respirar, ela sentiu o Rio de Janeiro sorrindo para ela de volta.

Anúncios

2 comentários em “O Arpoador

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s